Judiciário paulista promove exposição de processos históricos

A história de São Paulo e do País contada através de processos históricos – essa é a tônica da exposição “Do Papel à Era Digital”, uma realização do Tribunal de Justiça de São Paulo, que vai até o dia 25 de agosto, no Palácio da Justiça.

Serão exibidos 29 processos – o visitante terá um panorama da documentação processual, década a década, ao longo dos quase 150 anos de história do Tribunal. Entre eles, ações sobre as revoluções de 1924 e 1932; casos da escravatura; histórias de figuras célebres (Marquesa de Santos, Peixoto Gomide, Conde do Pinhal etc.) e processos que discutiram os lamentáveis incêndios nos edifícios Joelma e Andraus.

Também há casos mais recentes, de grande repercussão: Lindomar Castilho (condenado pela morte da esposa Eliane de Grammont); Esquadrão da Morte; a apuração da morte de Vladimir Herzog e ação criminal contra o médico Roberto Farina, que fez a primeira cirurgia de mudança de sexo no Brasil.

Os autos ficarão expostos, mas, como não podem ser manuseados (para preservação dos documentos), cada expositor terá um QR Code (código de barras em 2D). Basta o visitante utilizar um aplicativo de celular para leitura do código e terá acesso às fichas técnicas, com detalhes dos processos.

Na mostra, o visitante percorre fatos históricos e jurídicos que nortearam os rumos do País, cujos marcos temporais serão apresentados em banners, estabelecendo-se uma relação com os processos. Os casos foram selecionados pelo Programa de Gestão Documental do TJSP, que conta com a área de “Reserva Técnica” destinada à preservação e conservação de processos classificados como de importância histórica e valor permanente. Compareça.

 

Exposição “Do Papel à Era Digital”

Abertura: Dia 14/8 (segunda-feira), 14 horas

Visitação: Até 25/8, de segunda a sexta-feira, das 12h30 às 18h30

Local: Palácio da Justiça – Salão dos Passos Perdidos (Praça da Sé, s/nº)

Entrada franca