Apatej na luta contra congelamento proposto por Alckmin e reforma da Previdência

30/10/2017

Na sexta-feira, 27, a Apatej esteve representada na manifestação em defesa do serviço público que reuniu milhares de servidores na Avenida Paulista. O ato teve o objetivo de conscientizar o funcionalismo e a população sobre os prejuízos do PL 920/2017, projeto de iniciativa do governador Geraldo Alckmin (PSDB) para congelar investimentos do estado por dois anos, e da reforma da Previdência.

O PL 920/2017 tramita na Assembleia Legislativa de São Paulo em regime de urgência. “Se aprovada, a proposta vai barrar reajustes dos defasados salários dos servidores, aumentar a precariedade do serviço público e comprometer o atendimento à população em áreas como Saúde, Educação, Transporte e Segurança Pública”, explica o presidente da Apatej, Mario José Mariano, o Marinho.

Já a reforma da Previdência vai dificultar muito o acesso do trabalhador brasileiro à merecida aposentadoria. O governo Temer alega que há um déficit na Previdência, mas o relatório de uma CPI do Senado diz isto não é verdade. “Está havendo manipulação de dados por parte do governo para que seja aprovada a reforma da Previdência”, disse o relator, senador Hélio José (PROS-DF).

O presidente da Apatej destaca que “o governo federal vem gastando milhões em publicidade na TV, jornais, revistas, rádio, etc., para convencer a população que temos déficit na previdência. Usa o nosso dinheiro para contar mentiras para nós mesmos, sendo que a própria CPI do Senado Federal concluiu que não a déficit”.

“Sendo assim, esse projeto de reforma da Previdência é única e exclusivamente para beneficiar empresários e bancos, fazendo com que o povo brasileiro trabalhe até morrer, sem conseguir ter acesso ao direito à aposentadoria e usufruir com dignidade a terceira idade após tanto trabalhar durante a vida toda para pagar a conta da má gestão no sistema previdenciário brasileiro”, completa Marinho.

Servidores marcam nova manifestação para o dia 10, no Palácio dos Bandeirantes

Na sexta-feira, 27, mesmo com chuva, os servidores mostraram a força de sua mobilização. Os funcionários do Judiciário se concentraram na Praça João Mendes e caminharam pelo bairro da Liberdade e pela avenida Brigadeiro Luís Antônio até o escritório da Presidência da República, onde milhares de representantes de diversas categorias se reuniram.

Durante o percurso, os líderes do Judiciário falaram diretamente à população alertando sobre os riscos da falta de investimento no funcionalismo, também falaram da importância da valorização, dos direitos e de melhores condições de trabalho e salário dos servidores.
Professores, pesquisadores, servidores das áreas da Segurança Pública, Transportes e Saúde, entre outros também participaram da manifestação. Além do presidente da Apatej, Mario José Mariano, o Marinho, participaram do ato o secretário da entidade, André Soares, e o colaborador Vlademir Amaro.

As reuniões unificadas entre representantes do funcionalismo e de todas as centrais sindicais vão continuar com calendário intenso até a próxima mobilização, marcada para o dia 10 de novembro, no Palácio dos Bandeirantes.

“Os servidores mostraram sua força em mais uma mobilização em defesa dos seus direitos. É fundamental que, no dia 10, os funcionários públicos participem com ainda mais peso para mostrar que não aceitaremos os retrocessos que o governo Alckmin e o governo Temer querem nos impor. O momento é de união e luta de todos os trabalhadores em defesa de seus direitos”, diz o secretário da Apatej, André Soares.