Em encontro na Alesp, diretoria da Apatej discute Reforma da Previdência e reposição salarial

01/02/2018

Juntamente com outras entidades do judiciário paulista e membros do serviço público estadual, diretores da Associação Paulista dos Técnicos Judiciários (Apatej) participaram na quarta-feira, 31/1, de uma reunião na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). O objetivo era traçar estratégias para confrontar a Reforma da Previdência proposta pelo presidente Michel Temer (PMDB) e que deve ser votada pelo Congresso no próximo dia 19.

De acordo com o tesoureiro da Apatej, Marcos Leite Penteado, o Marquinhos, esta Reforma irá prejudicar mais ainda o trabalhador porque a proposta está calcada em premissas falsas, como por exemplo a de que a Previdência está quebrada. “A Previdência Social no Brasil não está quebrada, dinheiro tem. O que eles querem é mais dinheiro para sustentar a corrupção”, explica.

Marquinhos afirma ainda que a propaganda de Temer apoia-se na ideia de que é preciso cortar privilégios. Entretanto, o trabalhador brasileiro não possui privilégios. “Cortar privilégios de quem? A gente paga pelo que tem. Teria que cortar dos políticos e não dos servidores que põe a mão na massa e que fazem esse país andar”, continua.

A expectativa dos participantes do encontro é realizar na data da votação uma movimentação nacional contra a reforma de Temer.

Paralelamente a este encontro as entidades do judiciário paulista discutiram os próximos passos da busca pela reposição salarial. Para Marquinhos, apesar de ainda não se ter o índice anual de reajuste, a pauta é composta por várias outras reivindicações. “Vamos pressionar para que o Tribunal de Justiça (TJ) receba as entidades imediatamente”, finaliza o tesoureiro.