Saúde dos servidores é tema de conversa entre entidades de classe e representantes do TJ

08/05/2018

Foto: André Santos/Assojuris

Entidades de Classe que representam os servidores do judiciário do Estado de São Paulo (TJ-SP), entre elas a Apatej, se reuniram na sexta-feira, 4, com representantes do Tribunal de Justiça para discutir assuntos que envolvem a saúde dos trabalhadores. Durante o encontro foram abordados temas como digitalização dos documentos do Tribunal, locomoção dos servidores para perícia e iniciativas para tratamento de doenças como alcoolismo e depressão.

A médica do trabalho e Diretora do Departamento de Perícias Médicas, Daniele Perroni Kalil, explicou que a partir de 15 de junho será iniciado um processo de digitalização de toda a documentação do Tribunal de Justiça de São Paulo. Segundo ela, assim que os trabalhos forem concluídos o Apenso nº 11 (anexo ao prontuário no qual são arquivadas as licenças-saúde) poderão ser acessados “online” diretamente na área do servidor.

A juíza assessora Tatiana Magosso, por sua vez, lembrou que a presidência do TJ deverá editar um comunicado dizendo que nos casos em que houver dificuldade de locomoção por parte do servidor a perícia poderá ser feita diretamente no fórum, no hospital ou até mesmo na residência do servidor. E caso tenha mesmo que se deslocar, o servidor poderá contar com uma viatura oficial da Comarca para o transporte.

O chefe do Gabinete Civil da Presidência, Tarcísio dos Santos, explicou que o Tribunal mantém conversas com a entidade Alcoólatras Anônimos (AA) com o objetivo de oferecer atendimento aos servidores. Atualmente há 28 casos oficiais de alcoolismo registrados no Tribunal de Justiça.

Com relação a depressão foi informado que 23.834 casos foram registrados pelos 11 Centros Psicossociais instalados no Estado em 2017. A reivindicação é de que é preciso admitir mais médicos psiquiatras, aumentar a quantidade de unidades e divulgar o trabalho realizado pelos equipamentos.

Por fim, os representantes do Tribunal de Justiça informaram que 50% dos casos de licença saúde são resolvidos documentalmente e em média apenas 3% das perícias são negadas.

Para o diretor da Apatej, Marcos Leite Penteado, o Marquinhos, a reunião foi bastante proveitosa. “Se as demandas apresentadas tiverem os encaminhamentos devidos os servidores serão muito beneficiados”, destacou.