RAE 2023: Reunião demonstra progressos obtidos nos cumprimentos das metas do TJ-SP

03/04/2023


Com informações do TJ-SP

Integrantes do Conselho Superior da Magistratura, desembargadores, juízes assessores da direção e cúpula do Tribunal de Justiça de São Paulo, secretários e servidores da Diretoria de Planejamento Estratégico (Deplan) participaram no último dia 30/03 da primeira Reunião de Análise da Estratégia (RAE) de 2023, realizada pela plataforma Teams, para o acompanhamento das metas do Planejamento Estratégico 2021/2026.

Na reunião, conduzida pelo presidente do TJ-SP, desembargador Ricardo Mair Anafe, a juíza assessora da Presidência (Planejamento, Gestão e Contratos), Paula Micheletto Cometti, apresentou a evolução obtida.

“Estávamos com 34,7% e, hoje, em março de 2023, alcançamos o percentual de 52,4%. Se considerarmos que o Planejamento Estratégico abrange período de 2021 a 2026, o percentual mínimo de cumprimento anual é de 16,6%, sendo que em três anos, o percentual mínimo é de 50%, e já estamos acima do esperado no início do terceiro ano. Das 42 metas, sete já moram concluídas, e dou destaque a meta 3.3, que é a meta relacionada à Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP), referente ao aprimoramento dos critérios de avaliação de desempenho. Essa meta foi concluída no final do ano passado.”

Um aspecto de importância considerada foi a economia decorrente da finalização de processos de desocupação de prédios locados, com otimização do uso dos espaços físicos.

Outro destaque importante foi a meta relacionada à sustentabilidade em que o Tribunal de Justiça tem demonstrado números bastante significativos com a redução do consumo de água, energia elétrica, papel sulfite e copos descartáveis, indicadores de responsabilidade econômica e ambiental.

Em relação à economia gerada, Anafe destacou dois fatores que considera essenciais: “o horário único de expediente nos fóruns de primeira instância e a Resolução 850/21, em vigor no TJ-SP, que reduziu o trânsito de pessoas nos prédios do Judiciário”.

Ele agradeceu a dedicação e comprometimento de todos com o Tribunal de Justiça. “Estamos todos voltados para a instituição e para oferecer a melhor prestação jurisdicional.”

Para a Apatej, que não teve diretores nesta reunião, é importante ressaltar que as metas estão sendo cumpridas sendo na sua maioria pelo trabalho dos servidores.

“O que se espera da Presidência do TJ-SP é o mínimo de reconhecimento em relação ao cumprimento das perdas salariais. Isso não é aumento real, é tão somente recompor perdas inflacionárias, que chegam a 1/3 a menos dos vencimentos mês a mês”, destaca a entidade.